segunda-feira, 18 de novembro de 2019

A importância do voleibol enquanto conteúdo das aulas de Educação Física do 6º ao 9º ano





Introdução

    Sabe-se da importância de fazer uma atividade física e de se manter ativo. Mas isto deve ser trabalhado já na infância, aliando a educação física à educação moral e intelectual, formando o indivíduo como um todo.

    A educação física tem como objetivo integrar o aluno na cultura corporal de movimento de forma completa, adaptando o conteúdo das aulas à individualidade de cada aluno e a fase de desenvolvimento em que estes se encontram. É uma oportunidade de desenvolver as potencialidades individuais, nunca de forma seletiva e sim, incluindo todos os alunos.

    De acordo com os PCNS (Parâmetros Curriculares Nacionais) os conteúdos de educação física são: esportes, jogos, lutas, ginásticas; atividades rítmicas e expressivas e conhecimentos sobre o corpo (BRASIL, 1998).

    A prática de uma modalidade desportiva pode fortalecer a autoestima, criar o hábito do trabalho em equipe, estimular a disciplina e a organização, fatores que contribuem para a formação da cidadania.

    O voleibol é um esporte coletivo que tem o jogo como sua principal essência, fator que mesmo social ou cultural estimula e motiva as pessoas, mostrando-se muito favorecido e propício ao desenvolvimento da sua pratica.

    O esporte voleibol enquanto conteúdo escolar pode proporcionar a interação social do aluno e fazer com que os alunos se sintam mais motivados a aprender. Dentre vários esportes escolares o voleibol apresenta, melhora no relacionamento entre os colegas e desenvolve várias capacidades físicas nos praticantes, como agilidade, coordenação motora, velocidade, tempo e reação.

    A educação física tem um papel que vai além do seu conteúdo pratico, pois é por meio dele que o professor deve proporcionar/estimular a solidariedade e reprimir as atitudes violentas. Para isso acontecer os conteúdos que iram ser trabalhados pelos professores nas aulas, devem ser selecionados visando muito além da pratica esportiva.

    Bracht (2000) diz que o que a pedagogia crítica em EF propôs/propõe é o ensino de destrezas motoras esportivas dotadas de novos sentidos, subordinadas a novos objetivos/fins.

    Contudo este estudo pretende descobrir e analisar "A importância do voleibol enquanto conteúdo das aulas de educação física do 6º ao 9º ano".

Objetivos

Objetivo Geral

  • Analisar a importância do voleibol enquanto conteúdo de Educação Física a partir da percepção dos alunos do 6º ao 9º.

Objetivos Específicos

  • Investigar se os alunos tem conhecimento sobre o conteúdo de voleibol nas aulas de Educação Física.

  • Analisar o interesse dos alunos sobre o voleibol nas aulas de Educação Física.

Introdução

Historias e características do voleibol

    Segundo a CBV (Confederação Brasileira de Voleibol, 2006), O voleibol foi criado em 1895, pelo americano William G. Morgan, então diretor de educação física da Associação Cristã de Moços (ACM) na cidade de Holyoke, em Massachusetts, nos Estados Unidos. O primeiro nome deste esporte que viria se tornar um dos maiores do mundo foi Mintonette.

    Naquela época, o esporte da moda era o basquetebol, criado apenas quatro anos antes, mas que tivera uma rápida difusão. Era, no entanto, um jogo muito cansativo para pessoas de idade. Por sugestão do pastor Lawrence Rinder, Morgan idealizou um jogo menos fatigante para os associados mais velhos da ACM e colocou uma rede semelhante à de tênis, a uma altura de 1,98 metros, sobre a qual uma câmara de bola de basquete era batida, surgindo assim o jogo de vôlei.

    Não se tem registro de quando o voleibol chegou ao Brasil, só se sabe que a primeira competição oficial do voleibol no país aconteceu em Recife (PE), em 1915, e foi organizada pela Associação Cristã de Moços (ACM) do pais, e com regras e regulamento definidos. Assim, tudo leva a crer que o esporte já era praticado informalmente antes desta data no Brasil.

    O objetivo do jogo é fazer com que a bola caia na quadra adversária, passando por cima da rede através de toques com a mão. A bola é posta jogo através do saque, efetuado pelo jogador de defesa direita, posicionado na zona de ataque. Cada equipe pode dar três toques (além do bloqueio) para impedir que a bola toque o chão de sua própria quadra e jogá-la de volta à quadra adversária por cima da rede e num espaço compreendido entre as antenas, sendo que os jogadores não podem dar dois toques consecutivos na bola, ao menos se tiverem no bloqueio. Cada vez que a posse de bola for para a outra equipe, seus respectivos jogadores deverão mudar de posição (rodizio), trocando as posições no sentido horário da quadra (DAIUTO, 1964; TEIXEIRA, 1995; BIZZOCCHI, 2000; BOJIKIAN, 2003; COSTA, 2003; CBV, 2006).

O voleibol como conteúdo da Educação Física escolar no Ensino Fundamental II

    A falta do que fazer é uma fonte de insatisfação para muitos jovens, pois sem ter o que fazer, muitos deles simplesmente desperdiçam o seu tempo e acabam se envolvendo com a criminalidade. É cada vez maior a procura do esporte como uma forma de as pessoas se libertarem de suas tensões e ansiedades causadas pela vida moderna. Quando utilizada na busca ou manutenção da saúde, a prática esportiva visa proporcionar bem estar físico para as pessoas.

    A Educação Física escolar deve se preocupar com a formação integral dos alunos, atuando nos aspectos motor, cognitivo, afetivo e social. Além disso, deve ser um espaço privilegiado à observação, manifestação e transformação de princípios e valores que permitam aos alunos transferirem tais reflexões para além do ambiente escolar.

    A prática de uma modalidade esportiva pode fortalecer a autoestima, criar o habito do trabalho em equipe, estimular a disciplina e a organização, fatores que contribuem para a formação da cidadania (SOUZA et al., 2010).

    O voleibol é uma modalidade desportiva fundamental para o desenvolvimento de crianças e adolescentes, pois explora diversos movimentos corporais do aluno que poderá, por sua vez, imaginar e criar variados movimentos, sendo este um meio de socialização entre os meninos e meninas que poderão estar vivenciando esta prática juntos.

    A prática do esporte deve ir além dos seus fundamentos. É necessário uma transformação pedagógica dos esportes, como foi citado por Kunz (2001, p.126) "essas transformações devem ocorrer, acima de tudo, em relação às insuficientes condições físicas e técnicas do aluno para realizar com certa perfeição.

    Observa-se que ao longo dos anos, houve uma mudança metodológica do ensino dos esportes coletivos na educação física escolar, que, talvez, seja fruto das alterações sofridas pela formação do profissional de Educação Física nas ultimas décadas (COSTA, NASCIMENTO, 2004).

    O esporte escolar contribui com vários aspectos do desenvolvimento, inclusive com a questão do trabalho em grupo, quando não há exclusão, podendo trabalhar a cooperação e o companheirismo (PEREIRA, 2004).

    Para Coletivo de Autores (1992, pg.70) o esporte como prática social que institucionaliza temas lúdicos da cultura corporal se proteja numa dimensão complexa de fenômeno que envolve códigos, sentidos e significados da sociedade que o cria e o pratica.

Resultados e discussão

    Esta pesquisa foi realizada em uma escola publica do município de Ibotirama-BA. Contudo, esta pesquisa foi composta por 24 (vinte e quatro) alunos entre 11 (onze) a 17 (dezessete) anos de ambos os sexos, que concordaram e autorizaram a obtenção de informações através de um questionário contendo 07 (sete) questões objetivas.

    A questão 01 questionou se os alunos praticam ou já praticaram o voleibol nas aulas de educação física durante toda a sua passagem pelo ensino fundamental ll.

Tabela 1. Sobre a prática de Voleibol nas aulas de Educação Física

    Segundo Brotto (2001) por meio dos jogos, a educação física pode ensinar muito mais do que gestos, técnicas, táticas e outras habilidades específicas. Em nossos dias, deve promover e aperfeiçoar as "habilidades humanas essenciais".

Tabela 2. Sobre as aulas teóricas de voleibol

    Segundo Coletivo de autores (1992), o aluno amplia as referências conceituais do seu pensamento; ele toma consciência da atividade teórica, ou seja, de que uma operação mental exige a reconstituição dessa mesma operação na sua imaginação para atingir a expressão discursiva, leitura teórica da realidade.

    Na questão 03 pergunta do nível de aprendizado dos alunos para com o voleibol.

    De acordo com Santini (2007) para obter sucesso nas aulas, é preciso que tenha em mente a preocupação de passar todas as informações possíveis de forma a garantir ao aluno uma melhor performance no aprendizado dos fundamentos básicos do jogo. Também deve conhecer a metodologia adequada desse esporte, para que os alunos obtenham um bom desenvolvimento e a correção imediata dos erros.

Tabela 3. Sobre o ponto de vista do aprendizado sobre o voleibol

    Na questão 04 foram questionados sobre a importância que os professores de educação física estão dando para o voleibol enquanto conteúdo nas aulas de educação física.

Tabela 4. Considerando a importância que os professores de educação física que deram ao voleibol enquanto conteúdo nas aulas de educação física

    Para Bojikian (2003) torna-se claro que a disciplina de voleibol na Universidade deve formar professores que saibam extrair das características inerentes do voleibol situações e estratégias que colaborem para o processo educativo.

    Na questão 05 foi perguntado sobre o interesse que os alunos tem nas aulas de voleibol (teóricas e práticas) como eles se consideravam.

Tabela 5. Sobre interesse dos alunos nas aulas de voleibol (teóricas e práticas)

    Freire (1992) diz que se o contexto for significativo para o aluno, o jogo, como qualquer outro recurso pedagógico, tem conseqüências importantes em seu desenvolvimento.

    Na questão 06 foi questionado se os alunos jogam voleibol fora das aulas de educação física.

Tabela 6. Sobre pratica do jogo do voleibol fora das aulas de educação física

    Segundo Machado (1995) o esporte valoriza o homem, proporciona uma melhoria de autoimagem, e a aprendizagem de uma modalidade esportiva constitui uma das mais significantes experiências que o ser humano pode viver com seu próprio corpo. Já Moraes (2004) diz que o envolvimento dos adolescentes com o esporte pode ter conseqüências benéficas ou não, determinadas pela forma, atitude e motivação.

    Na questão 07 foi perguntado sobre a importância da transmissão de jogos de voleibol na televisão.

Tabela 7. Sobre a transmissão de jogos de voleibol na televisão

    De acordo com Belloni, (2002) citado por (MAZZOCATO; TELLES; CASAROTTO; ROSA, 2012) nos países desenvolvidos ou em desenvolvimento, a freqüência de crianças aos meios de comunicação de massa está em crescimento muito acentuado. Seguindo ainda o raciocínio de Belloni, é preciso ainda lembrar que a televisão é um objeto técnico totalmente integrado à vida cotidiana dos jovens. Esta maravilhosa máquina de sonhos faz parte de um 'meio técnico' que caracteriza cada vez mais as zonas urbanas.

Considerações finais

    A escola é um ambiente onde ocorre uma pluralidade de relações sociais e, portanto, é o espaço ideal para que o jogo seja realizado, pois uma das funções da escola é organizar a sociedade, participando da formação integral do ser humano. Tendo o jogo como meio de ensino, é inevitável refletir, não somente sobre seu caráter educacional ou não, mas assumir uma preocupação constante para questões que julgamos fundamental.

    Partindo da premissa que o aluno de voleibol na escola deve ter uma formação básica, desenvolvendo os procedimentos metodológicos: aspectos cognitivos, afetivo e motores envolvidos no seu desenvolvimento, infelizmente os alunos pesquisados estão aquém do que realmente deveria acontecer na escola. Porém os mesmos consideraram o esporte importantíssimo para a disciplina, tem interesse em aprender, mas possuem pouco conhecimento.

    Cabe aos educadores físicos um planejamento eficiente, inserindo todas as modalidades esportivas, oportunizando os alunos a vivenciarem de forma positiva a educação física, procurando a melhor maneira para desenvolver as aulas e fazer com que os mesmos tenham uma melhor motivação para participar das aulas teóricas e práticas.

Referências

  • BIZZOCCHI, C. O voleibol de alto nível: da iniciação a competição. São Paulo: Fazendo Arte, 2000.

  • BOJIKIAN, J. C. Ensinando Voleibol. 2ª ed. São Paulo: Phorte, 2003.

  • BRACHT. Esporte na escola e esporte de rendimento. Movimento – Ano VI – Nº 12 – 2000/1.

  • BRASIL. Ministério de Educação. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. 3º e 4º ciclo do ensino fundamental. Educação Física. Brasília: SEF/MEC. 1998.

  • BROTTO, F. O. Jogos cooperativos: se o importante é competir, o fundamental é cooperar! Santos: Re-Novada, 2001.

  • COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo: Cortez, 1992.

  • CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE VOLEIBOL. Regras oficiais do voleibol. Rio de Janeiro: Sprint, 2006.

  • COSTA, A. D. Voleibol – fundamentos e aprimoramentos técnicos. 2ª ed. Rio de Janeiro: Sprint, 2003.

  • COSTA, L.; NASCIMENTO, J. O ensino da técnica e da tática: novas abordagens metodológicas. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v15, n2, p.49-56, 2002.

  • DAIUTO, M. Voleibol. São Paulo: Cia Brasil Editora, 1964.

  • FREIRE, J. B. Educação de corpo inteiro teorias e práticas da Educação Física. São Paulo: Scipione, 1992.

  • KUNZ, E. Transformação didático-pedagógico do esporte. 4ª ed. Ijuí: Unijui, 2001.

  • MACHADO, A. A Importância da Motivação para o Movimento Humano. In: Perspectivas Interdisciplinares em Educação Física, São Paulo: Soc. Bras. Des. Educação Física, 1995.

  • MAZZOCATO, A.P.F.; CASAROTTO, V.J.; ROSA, C.L.L. A influência do esporte na mídia e no desenvolvimento da sociedade. 2012

  • MORAES, L. C., SALMELA, J. H., RABELO, A. S., LIMA, M. S. O. Desenvolvimento de jovens atletas de voleibol. Psicologia: Reflexão e Crítica, 2004

  • PEREIRA, J.M. A formação do bacharel em educação física e esporte: em contexto as disciplina de voleibol. Rio Claro: universidade estadual paulista, p.24, 2004.

  • SANTINI, J. Voleibol Escolar: Da iniciação ao treinamento. Canoas: Ed. ULBRA, 2007.

  • SOUZA, T.M.F.; ASSUMPÇÃO, C.O.; ZABAGLIA, R.; GARCIA, M. A importância do voleibol enquanto lúdico e modalidade desportiva dentro da educação física escolar. Vol.4, nº 7, 2010.

  • TEIXEIRA, H. V. Educação Física e desportos. São Paulo: Saraiva, 1993.

por
Fellipe Van Basten Quinteiro de Sá Teles

ATIVIDADES PARA AULAS DE VOLEIBOL

Se você é um professor que procura atividades para aulas de Voleibol e aperfeiçoamento do toque, manchete, saque, ataque, defesa e bloqueio, esse guia vai te ajudar muito. Em cada tema, tem 10 ou mais atividades. Aproveite a promoção de 100 atividades de Voleibol para escola ou escolinhas. Clique aqui!


Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui



Comente:


Você não pode perder:

Entre no Grupo de Whastapp
100 Planos de Aulas + 100 atividades para Educação Física Escolar
800 atividades para Educação Física


Popular

Arquivo do blog