Curso online de O Brincar e o Aprender na Educação Infantil

terça-feira, 26 de março de 2013

18:05

A Educação Física Escolar e sua mais nobre face


A Educação Física escolar com o passar do tempo perdeu aquela característica esportivista de formação básica para um futuro atleta, tomando para si sua mais nobre face que é a de simplesmente educar. Portanto, se no meio do caminho nós profissionais encontrarmos algum aluno com certa predisposição para determinada atividade esportiva, este será orientado ou até mesmo indicado para uma escola específica daquele esporte. Contudo, o caminho que devemos trilhar é o da educação propriamente dita, para um futuro melhor com qualidade de vida, não temos por base criar super atletas, mais sim cidadãos aptos a viver em uma sociedade justa, onde impere o bem estar.

educação física escolar

Alguns objetivos da Educação Física Escolar

(Proposta curricular da cidade de Jundiaí para a Educação Física Escolar- Supervisor: Profº Ms  Luiz Trientini).

Os objetivos da educação física escolar contemplam o desenvolvimento motor, afetivo-social e cognitivo, que podem assumir diferentes relações nos conteúdos, conforme a faixa etária dos alunos. Portanto, espera-se que os alunos por meio da Educação Física Escolar, possam melhorar, adquirir, ampliar e ter acesso a  alguns componentes essenciais da Educação Física Escolar; são eles:

* Adquirir conhecimento de como melhorar a qualidade do movimento, conhecendo as informações essenciais das habilidades motoras básicas e suas combinações, para aplicá-las na organização espacial e temporal dos diferentes jogos;

* Ampliar seu repertório motor, demonstrando capacidade de executar as habilidades básicas de locomoção, manipulação, estabilização e suas combinações;

* Adquirir conhecimentos acerca das dimensões biológicas, comportamentais e socioculturais do movimento, suas implicações e os aspectos conceituais inerentes a ela;

* Ter acesso à cultura do movimento, conhecendo a história, as regras e as curiosidades sobre jogos, esportes, atividades rítmicas e expressivas, ginástica e lutas.

Prof. Esp. Manoel Pires Borges

Email- ozzborg@ig.com.br

segunda-feira, 18 de março de 2013

12:42

Brincadeiras são fundamentais para o desenvolvimento da criança



Em tempos de escolas monitoradas, técnicas educativas, videogames, computadores e pais excessivamente preocupados, as crianças estão deixando de brincar livremente. O alerta é de pesquisadores da Universidade Boston College, nos Estados Unidos.

Segundo o coordenador do estudo, Dr. Peter Gray, pais e educadores não estão dando a importância que deveriam dar ao brincar livremente, pois isso ajuda no processo de aprendizado.

Por brincar livremente entende-se as brincadeiras sem monitoramente e sem regras previamente estruturadas para os jogos. O Dr. Gray explica que esses jogos são cruciais para o desenvolvimento psicológico saudável e para que as crianças se preparem para enfrentar os desafios que surgirão ao longo da vida.

"É brincando com outras crianças, longe dos adultos, que as crianças aprendem a tomar suas próprias decisões, controlar suas emoções e seus impulsos, ver a perspectiva do outro, negociar diferenças, e fazer amigos," diz o especialista. "Em suma, é brincando que as crianças aprendem a tomar conta de suas vidas," completa.


segunda-feira, 11 de março de 2013

04:54

Exercício físico melhora resposta de crianças a situações de estresse


Exercício pode ajudar crianças a lidar com situações estressantes
Exercício pode ajudar crianças a lidar com situações estressantes

O exercício pode desempenhar um papel fundamental para ajudar as crianças a lidar com situações estressantes. É o que revela estudo de pesquisadores da University of Helsinki, na Finlândia.

A pesquisa demonstrou que, quando expostas a estressores da vida diária, crianças sedentárias tinham picos de cortisol, hormônio ligado ao estresse. Já as crianças mais ativas tiveram pouco ou nenhum aumento em seus níveis de cortisol em situações semelhantes.

"Os resultados sugerem que a atividade física desempenha um papel na saúde mental amortecendo os efeitos de estressores diários, como falar em público, sobre as crianças", afirma a principal autora do estudo, Silja Martikainen.

Os pesquisadores monitoraram a atividade física e os níveis de cortisol em um grupo de crianças de oito anos de idade. Os 252 participantes usavam dispositivos do acelerômetro em seus pulsos para medir a atividade física. Amostras de saliva foram retiradas para medir os níveis de cortisol. Para medir as reações ao estresse, as crianças tiveram que fazer tarefas de aritmética e contar histórias.

O estudo é o primeiro a encontrar uma ligação entre a atividade física e as respostas de hormônio do estresse em crianças, segundo os pesquisadores.

As crianças foram divididas em três grupos, as mais ativas, intermediárias e menos ativas. Os resultados mostraram que os níveis de cortisol das crianças mais ativas foram os menos reativos a situações estressantes. "Claramente, há uma ligação entre o bem-estar mental e o bem-estar físico, mas a natureza da conexão não é bem compreendida. Estes resultados sugerem que o exercício promove a saúde mental através da regulação da resposta do hormônio do estresse a estressores", conclui Martikainen.

A pesquisa foi publicada no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism.


segunda-feira, 4 de março de 2013

16:15

Métodos de ensino: qual é a melhor opção?

 

Em época de volta as aula, é comum os pais enfrentarem questionamentos sobre a melhor escola para seus filhos e, até mesmo, sobre o melhor método de ensino. Como escolher bem o local em que a criança passará grande parte da sua vida, desenvolverá suas habilidades e seu conhecimento sobre o mundo? A tarefa não é nada simples.

Para tentar ajudar quem está nessa situação, a pedagoga Larissa Fonseca* explica que, além do método de ensino Tradicional, as instituições adotam também pedagogia Waldorf, Construtivismo, Montessori ou Pragmatismo. Assim, é essencial que as características de cada um desses métodos estejam claras para os pais.

"O ensino Tradicional, por exemplo, tem o aluno como passivo no processo de aprendizagem. Acredita-se na transmissão de conteúdos dos professores para os alunos", esclarece Larissa. "Por outro lado, o Construtivismo (teoria criada por Jean Piaget) parte do princípio que as crianças são ativas no processo de aprendizagem, construindo seus conhecimentos a partir das experiências vivenciadas no dia a dia e suas descobertas, feitas pelo contato com o mundo e com os objetos".

Segundo a pedagoga, a teoria Montessoriana (desenvolvida pela médica Maria Montessori) é fundamentada na estimulação da criança por meio da manipulação de objetos. A própria médica criou o material educativo a partir do qual a criança explora e realiza diversas tarefas (pré-organizadas pelos educadores) de forma livre, gerando, assim, suas aprendizagens.

"A pedagogia Waldorf é uma linha antroposófica, criada a partir das idéias do filósofo alemão Rudolf Steiner, que busca o desenvolvimento da criança nos diferentes aspectos, incluindo físico, social, individual e espiritual.
Ao invés de serem divididos por séries, os alunos são separados de acordo com a faixa etária, não havendo repetência. As aulas incluem artes até marcenaria".

A outra linha, denominada Pragmatismo, foi elaborada no início do século pelo educador norte-americano John Dewey e privilegia a resolução de problemas e ciência aplicada.

"Diante de tantas opções, uma variedade de aspectos deve ser considerada pelos pais na hora de fazer suas escolhas, abrangendo questões práticas como localização, preço e horário de atendimento, até a metodologia e filosofia da escola", reforça Larissa. "Também é fundamental observar as características comportamentais da criança, assim como, seus interesses".

Veja algumas dicas que podem ajudar no processo:

- Verifique se os valores da escola e a linha que a instituição segue na educação das crianças estão de acordo com as expectativas da família.

- Averigue a formação dos profissionais da escola.

- Observe os recursos pedagógicos (brinquedos, materiais didáticos)

- Examine as salas de aula, a disposição e adequação dos móveis, materiais, limpeza, segurança.

- Conheça a proposta pedagógica da escola.

- Verifique se a instituição promove cursos, reuniões e propostas de formação continuada para seus profissionais.

- Conheça a rotina das crianças e solicite uma visita de observação, para acompanhar a turma em atividade.

- Certifique-se se a escola reconhece seu papel de responsabilidade social.

- Indague sobre os métodos de avaliação e com que frequência são executados.

*Larissa Fonseca é Pedagoga, pós-graduada em Educação Infantil e Psicopedagogia. Possui especialidade em Psicanálise e Educação pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP) e em Comportamento e Desenvolvimento Infantil. www.larissafonseca.com.br


05:19

Aptidão Física e saúde na Ed Fisica Escolar: ampliando o enfoque


A prática regular e bem orientada do exercício físico pode ser vista como uma contribuição importante para a saúde. Com base nessa relação positiva entre exercício e saúde surge, em meados da década de 80, o movimento da "'Aptidão Física Relacionada à Saúde" (AFRS) para a educação física escolar. Esse movimento, que advoga a idéia da aptidão para toda a vida e a construção de estilos de vida ativa nas pessoas, visa a contribuir para a melhoria da saúde e da qualidade de vida da população. Embora esse movimento possa ser considerado um avanço em relação ao que vem sendo ensinado na educação física escolar, ele não está isento de críticas. Dentre as principais críticas, estão a idéia de causalidade entre exercício e saúde e o caráter eminentemente individual de suas propostas, o que concorre para a culpabilização da vítima. Como forma de superar essas lacunas, discutimos a necessidade de a AFRS considerar o caráter multifatorial da saúde, incorporando os determinantes sociais, econômicos, políticos, culturais e ambientais do exercício, da aptidão física e do desporto. A compreensão da influência desses fatores na adesão ao exercício físico por parte dos alunos, seria, a nosso ver, o grande papel da educação física escolar.


Texto completo: PDF

Popular

Arquivo do blog