quarta-feira, 22 de outubro de 2014

09:48

Adolescente obeso nas aulas de Educação Física na escola

http://www.wallstreetfitness.com.br/imgs/Fotos/atividade_fisica_na_adolescencia_neutraliza_gene_da_obesidade.jpg

É durante as aulas de Educação Física que várias vezes adolescentes obesos ou com sobrepeso são estigmatizados, recebem apelidos de mau gosto, são discriminados, ridicularizados, e excluídos do convívio escolar. E o professor tem uma responsabilidade educacional em fazer com que este adolescente desenvolva hábitos de vida saudáveis.

Educação Física no Brasil ganhou ênfase na prática de esportes, a fim de se encontrar atletas e também porque através do esporte a Educação Física desenvolveria os aspectos físicos, motores e técnicos de seus alunos (Nahas, 1997), fazer a parte prática, em quadra, é quase uma obrigação nas aulas. E para os adolescentes com obesidade este tipo de aula pode trazer desconfortos, pois ele pode não conseguir acompanhar o ritmo de aula, exclusão pelo rendimento baixo em comparação aos outros alunos, lesões devido ao peso, e a Educação Física se torna para este tipo de aluno uma outra barreira.

Nas aulas de Educação Física o adolescente obeso geralmente é recriminado pela própria atividade desenvolvida que é preferencialmente o esporte, o que o faz ser cada vez menos confiante, menos sociável, com baixa estima; o que por vezes pode acabar acontecendo descontroles, tanto de agressividades como até descontroles alimentares.

Frente às barreiras encontradas no dia-a-dia do adolescente obeso se faz necessário uma revisão que venha a satisfazer os anseios e necessidades desta população nas escolas e nas aulas de Educação Física; disciplina esta que tem uma tendência a privilegiar o esporte o que exclui os obesos pelo fato de serem menos ágeis pelo excesso de gordura corporal, por problemas ortopédicos, por dificuldades de locomoção, por sentirem vergonha de se expor e pelos fatores discutidos no decorrer deste trabalho.

 Assim como o conhecimento a respeito da adolescência e obesidade, pois saberá sobre os problemas que poderão ser presentes em seus alunos nesta fase o que pode refletir durante as aulas, como por exemplo, a vergonha de se expor na frente da turma, ou até mesmo depressão, ansiedade.

Sabendo o professor de Educação Física a respeito dos problemas presentes na fase da adolescência, problemas da obesidade e das Barreiras da Atividade Física, o mesmo terá condições de realizar alterações/rever o conteúdo de suas aulas, o convívio com seus alunos, e tornar suas aulas mais interessantes o que irá contribuir para uma melhor relação dos alunos com a Educação Física Escolar.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

11:55

O esporte nas aulas de Educação Física

http://educacaocontinuada.unipe.br/media/cache/5b/74/5b7484813d025f5406bceaec27236844.jpg

    O esporte serve muitas vezes como ajuda na socialização das crianças, e nas aulas de Educação Física não é diferente, mas também estando atento em um tratamento didático e pedagógico, ensinando-lhes a maneira correta que se deve trabalhar, sempre tirando dúvidas e as desafiando cada vez mais, não querendo transformar em superatletas, mais com o objetivo de que se tornem pessoas melhores e é nesse fim que nós futuros professores temos que trabalhar.

    Devemos valorizar o conhecimento do conteúdo, construindo uma análise no esporte em geral, conhecendo suas modalidades, códigos, regras, instalações e aparelhos aprendendo e debatendo com esportistas e professores de determinadas modalidades conforme formos trabalhando.

    Acreditamos que no ambiente pedagógico devemos tentar mostrar aos alunos atividades espontâneas com materiais que devem facilitar a atividade, desencadeando problemas para que eles resolvam, mudando os métodos quando esses mudam as formas de pensar, citando exemplos e atividades alternativas, ensinando-lhes a observar os fatos e o que não souberem indagarem, tentando trabalhar em grupo e fazendo com que desenvolvam habilidades de comunicação e socialização.

    RAMIREZ apud SCARPATO (2007) Trabalhar com os conteúdos dos esportes na escola tem como pressuposto o aspecto de servir ao desenvolvimento cognitivo, afetivo e motor, como individuo e a construção do conhecimento.

    Para trabalhar com os esportes inclusive nas escolas, é necessário compreendê-los a partir de suas modalidades e dos pontos em comum que elas apresentam,não há desenvolvimento e esporte rico possível sem uma estrutura que lhe dê origem e o sustente, sem uma estrutura que não passe pelo sujeito.

    O esporte nas aulas de Educação Física deve estar segundo KUNZ apud DARIDO E RANGEL (2005) pedagogicamente transformado, esporte escolar tem como pressuposto o aspecto de servir ao desenvolvimento cognitivo, afetivo e motor, e à construção do conhecimento. Nós educadores devemos permitir que as crianças descobrissem novos métodos de diversão e aprendizagem, pois brincadeiras exercidas por eles em casa já são realizadas cotidianamente, se nós educadores dermos atividades já executadas por eles, estaremos permitindo que eles fiquem estáticos, ou seja, que eles não aprendam nada de novo.

    Refletir sobre o esporte nas aulas de Educação Física escolar procuramos destacar uma educação fazendo de seus conteúdos uma ferramenta para o processo de formação dos alunos. A maneira que é utilizada o esporte nas aulas, destaca-se o sistema escolar, caracterizando o não esporte da escola e sim o esporte na escola, concordando com o (COLETIVO DE AUTORES, 1992, p.07), é questionado a forma de ser trabalhado o esporte no ambiente escolar, pois é repassados regras e regulamentos dos esportes competitivos aos alunos. O professor acaba se tornando um treinador de seus alunos atletas, onde começam a ser exigido resultados e comparações a talentos esportivos.

    Reforçando a critica de coletivos de autores, da utilização do esporte como rendimento no contexto escolar sendo esta forma, a conseqüência de frustração para a maioria dos alunos que não rendem o necessário, fazendo com que eles convivam com o sentimento de incapacidade e improdutividade.

    Uma escola que assume por missão consolidar a capacidade e a vontade dos indivíduos de serem atores e ensinar a cada um a reconhecer no outro a mesma liberdade que em si mesmo, o mesmo direito a individualização e a defesa de interesses sociais e valores culturais é uma escola de democracia. (TORAINE 1998, p.339)

    Os conteúdos do esporte nas aulas de Educação Física e sua tematização como nos advertem KUNZ apud DARIDO E RANGEL (2005) devem existir a partir da compreensão do esporte como fenômeno sociocultural, de maneira que os alunos não o façam acontecer apenas por sua ação motora, e sim principalmente por sua ação reflexiva.

    Cada vez mais os alunos estão desinteressados pelas aulas propostos pelos professores, e sim interessados naquilo que os satisfazem, que na maioria das vezes acaba não sendo o ideal para eles, e infelizmente não existe uma relação dialética entre educador e aluno, onde a autoridade é o professor e o aluno deve fazer um papel passivo obedecendo.

    Historicamente uma das primeiras classificações surgiu a partir dos esportes atléticos. Eles compreendiam as corridas, marchas, lançamentos e saltos, além de algumas provas combinadas, como o pentatlo e o decatlo. Além de existir uma divisão dos esportes em olímpicos e não olímpicos, individuais ou coletivos. Dentro dessa perspectiva, ainda pode-se notar os esportes artísticos, náuticos, militares, radicais e os de aventura. Outra tentativa para se classificar os esportes toma como foco as habilidades, estas se separam, conforme BOMPA apud DARIDO E RANGEL (2005) em cíclicas, acíclicas e combinadas.

    O Único Caminho para a verdadeira critica ao esporte é abandono da vivencia em prol do discurso filosófico e sociológico. 

    TOURAINE (1998) defende a idéia de uma transformação da escola, onde ela não deva ter a função exclusiva de instruir, mas sim se preocupar com o ato de educar, e acima de tudo aumentar a capacidade dos indivíduos a ser sujeito. (TOURAINE, 1998, p.327).

    Parece ser fundamental o aprendizado dos gestos motores na caracterização das atividades esportivas, e mais, é essencial a prática desses gestos para a progressão, visando à apropriação das modalidades esportivas. Talvez a questão central relacione-se á contraposição entre a prática consciente e a prática alienada. As dimensões dos conteúdos colocam-se como chave importante para a orientação nesse sentido. Como sugestão para uma abordagem metodológica envolvendo as reflexões acima apresentadas, destaca-se a proposição de objetivos que também levem em consideração as dimensões dos conteúdos.

Fonte

Popular

Arquivo do blog