Curso online de O Brincar e o Aprender na Educação Infantil

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Educando as Crianças para a Autonomia: Dez Regras




1. Não tenha um filho para o qual você não possa garantir Acolhida e
Proteção durante dezoito anos. Uma vez que você tenha a criança,
empenhe-se em reduzir o número de anos em que ela necessita de você,
permitindo que ela adquira autonomia logo que puder.

2. A principal finalidade de se educar uma criança para a autonomia e
proporcionar a ela liberdade de exercer totalmente as faculdades de
intimidade, consciência e espontaneidade. Não existe nenhuma outra
meta acima da autonomia (nem disciplina, nem boas maneiras, nem
autocontrole, etc.), embora possam ser almejadas pelos pais, mas nunca
em contradição com o objetivo principal: autonomia.

3. A Intimidade é vencida pela Economia de Afagos. Não impeça as
crianças de manifestarem de forma total e honesta o seu amor, ou a
falta dele. Incentive-as a pedir, dar, aceitar e rejeitar afagos, bem
como se gabar.

4. A Consciência é vencida pelas Desconsiderações. Não Desconsidere a
racionalidade, os sentimentos e a intuição de seus filhos. Ensina-os a
Considerar, e responda às exigências deles quando se dirigirem a você.

5. Jamais minta aos seus filhos, seja deliberadamente ou por Omissão.
Se você decidir ocultar deles a verdade, diga a eles que está fazendo
isso, e conte por que, sem mentir.

6. A espontaneidade é vencida por regras arbitrárias aplicadas ao uso
do corpo. Não controle o mover-se, olhar, escutar, tocar, cheirar e
sentir gosto das crianças, exceto quando isto interferir de maneira
clara com seu próprio bem-estar; ou quando algo as colocar em real
perigo. E faça-o apenas cooperativamente. Lembre-se que a sabedoria
que o corpo do seu filho tem sobre si mesmo quase sempre ultrapassa a
sua. Não leve demais a sério os conselhos de "experts" (educadores,
médicos); eles se enganaram antes e se enganarão de novo. Nunca
invada, ataque ou viole a santidade do corpo da criança. Se você o
fizer, peça desculpas imediatamente; mas não cometa o erro de Salvar
por causa de sentimentos de culpa. Assuma responsabilidade por suas
ações e não repita aquelas que você desaprova.

7. Não Salve e nem Persiga seu filho. Não faça aquilo que você não
gostaria de fazer pelas crianças. Se Você fizer, não cometa o erro de
Persegui-las mais tarde. Dê à criança uma oportunidade de tentar
sozinha antes de ir "ajudá-la".

8. Não ensine as crianças a competir. Elas aprenderão o suficiente
assistindo televisão e lendo jornais. Ensine-as, por exemplo, a
cooperar.

9. Não permita que seus filhos o oprimam. Você tem direito a tempo,
espaço e uma vida amorosa separada deles. Exija que suas necessidades
sejam levadas em consideração; eles o farão por que o amam.

10. Confie na natureza humana e creia em seus filhos. Eles
recompensarão esta confiança, crescendo e amando você.

Fonte: Os Papéis que Vivemos na Vida - Claude Steiner - Editora
Artenova -RJ - 1974



Comente:


Você não pode perder:

500 jogos e brincadeiras
Aprenda Planejar Aulas de Educação Física
Atividades Físicas de Alunos Especiais


Popular

Arquivo do blog