segunda-feira, 20 de maio de 2013

Esporte "de menino" ou "de menina"? Isso não existe!







Na escola, todos devem ter a experiência de vivenciar as práticas esportivas juntos, sem a distinção de gênero.

Os alunos da EMEF Santa Maria aprendem golpes de judô. Além de conhecer a luta, meninos e meninas provam ter capacidades semelhantes

Um recorde importante será quebrado nos Jogos Olímpicos de Londres, que acontecem em julho deste ano. E não tem nada a ver com velocidade e tempo de prova. Pela primeira vez na história, as mulheres competirão em todas as modalidades. E, para a edição de 2016, mais novidades: segundo o Comitê Olímpico Internacional (COI), todos os novos esportes incorporados aos jogos - como o rúgbi - deverão ter disputas para os dois sexos.

Realmente, a democratização das categorias é um passo em direção à superação da diferença entre gêneros (leia, abaixo, a linha do tempo que apresenta as principais conquistas das mulheres nos Jogos Olímpicos). No entanto, na maioria dos esportes, eles e elas seguem competindo separadamente - em Londres, das 33 modalidades, só duas terão provas mistas: o hipismo e o badminton.

Você deve estar se perguntando se homens e mulheres têm condições físicas de competir juntos e uns contra os outros. A resposta é sim. Segundo Marcos Neira, docente da Universidade de São Paulo (USP), o fato de eles serem tachados como mais rápidos e mais fortes que elas não corresponde a uma realidade comprovada. "Se não existissem ideias como essas, meninos e meninas seriam vistos da mesma maneira tanto na escola quanto na sociedade", explica.

Polêmico no mundo esportivo, o assunto pode ser analisado especialmente na escola, que deve proporcionar a prática esportiva para além das competições. "A Educação Física tem de propor a discussão sobre as diferenças, levar a turma a pensar a respeito do tema e desconstruir ideias produzidas pela cultura. Às vezes, estereótipos como ‘correr é coisa de menino’ são alimentados pelos próprios educadores", afirma Neira.


Comente:


Você não pode perder:

500 jogos e brincadeiras
Aprenda Planejar Aulas de Educação Física
Atividades Físicas de Alunos Especiais


Popular

Arquivo do blog